Quem sou eu, eis a questão!

Sinceramente, a célebre frase “conheça-te a ti mesmo” apesar de curta e de fácil compreensão, sua significância desemboca inexoravelmente num oceano de complexidade capaz de roubar minha paz!

Sim, ela me perturba e me persegue há anos…

É espantoso, mas essa frase grega, séculos após ser escrita, subitamente tira meu sossego e me lança para o inferno dos meus devaneios, porque a cada dia percebo o quão difícil é conhecer a si próprio.

Comparo essa árdua tarefa aos indecifráveis enigmas da antiguidade, aos lendários labirintos de Creta, à imensidão do infinito.

Creio que seja uma missão inacabável, interminável, chegando a ser enlouquecedor, pois quando acredito que sei algo sobre mim caio num paradoxo inimaginável, num emaranhado confuso de ideias acerca de mim mesma, numa teia arquitetônica de conflitos e confusões.

O conhecer-se exige disciplina e labor, tarefa que se aprimora dia a dia e cujo final é imprevisível.

Aos que desejam evoluir, cabe a perseverança de nunca desistir e seguir nessa busca incessante sem desatinar. Afinal, segundo o aforismo em questão, é esse autoconhecimento que nos levará à tão almejada Sabedoria.

spacer

Leave a reply